Blog Microsom

Notícias sobre cuidados com a saúde.

banner-blog-hipertensao

Hipertensão, quais os sintomas e o que devo fazer?

Popularmente conhecida como “pressão alta”, está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como consequência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Considera-se hipertensa a pessoa que, medindo a pressão arterial em repouso, apresenta valores iguais ou acima de 14 por 9 (140mmHg X 90mmHg).
Hipertensos têm maior propensão para apresentar comprometimentos vasculares, tanto cerebrais (como AVC), quanto cardíacos (como infarto), doença renal crônica, alterações na visão e impotência sexual.

Sintomas

A hipertensão é uma doença silenciosa. Isso significa que é possível que uma pessoa tenha pressão alta sem apresentar nenhum sintoma.

Para identificar os sintomas, é importante entender o que é hipertensão: uma síndrome – ou seja, um conjunto de sinais e sintomas – que tem comportamento silencioso.

Ocasionalmente, alguns sintomas e sinais são perceptíveis, sobretudo quando se trata de uma fase avançada ou diante de uma complicação como a crise hipertensiva.

Os principais sintomas são:

  • Enjoo;
  • Dor no peito;
  • Sangramento nasal;
  • Dor de cabeça;
  • Dor na nuca;
  • Sonolência;
  • Zumbido no ouvido;
  • Pequenos pontos de sangue nos olhos;
  • Visão dupla ou embaçada;
  • Dificuldade para respirar;
  • Palpitações cardíacas.

Algumas condições que favorecem o aumento da pressão e o desenvolvimento da hipertensão arterial:

  • Histórico familiar;
  • Obesidade;
  • Estresse;
  • Consumo excessivo de sal;
  • Níveis altos de colesterol;
  • Falta de atividade física;
  • Menopausa;
  • Sono irregular;
  • Apneia do sono;
  • Cigarro;
  • Bebidas alcoólicas.

Formas de se cuidar

  • Monitore sua pressão arterial
    Seja com equipamento próprio ou com a ajuda de um profissional da saúde.
  • Tome os medicamentos indicados pelo médico
    Alguns medicamentos podem agravar ou ser um gatilho para surgimento da hipertensão arterial. Por isso cuidado! Nunca se automedique e caso já use algum medicamento, não interrompa a medicação antes de consultar um médico. Além disso, é fundamental não tomar qualquer medicamento antes de um diagnóstico e da orientação médica adequada.
  • Reduza o sal
    Ele é um mineral importante para o organismo e não deve ser eliminado da dieta dos hipertensos, mas o consumo excessivo de sal está relacionado ao aumento no risco de doenças crônicas, como a hipertensão. Evite os alimentos ultra processados, como enlatados, salgadinhos e embutidos, são ricos em sódio, que é o principal componente do sal.
  • Mantenha uma dieta saudável e balanceada
    Aumente o consumo de frutas, verduras, legumes, produtos lácteos com baixo teor de gordura, cereais integrais, peixes, aves e oleaginosas.
    Restrinja o consumo de carnes vermelhas e processadas e de bebidas açucaradas, além dos já conhecidos alimentos ultra processados e do sal.
  • Cuidado com o sobrepeso
    Ele dificulta o trabalho do coração, uma vez que o excesso de peso influencia no aumento da pressão arterial, enquanto a perda de peso, para níveis saudáveis, contribui para redução ou manutenção da pressão.
  • Cuidado com o estresse
    Lembre-se, ele pode contribuir para o aumento da pressão, por isso, invista na sua saúde emocional.
  • Atividades físicas orientadas podem contribuir muito para relaxar e manter o corpo em forma
    Qualquer atividade física é melhor que não fazer nada. Tente realizar pelo menos 30 minutos diários de atividade física, de intensidade moderada. Vamos lá?


A hipertensão não tem cura, mas tem controle e tratamento, sendo que a atividade física contribui nesse processo.

Durante a pandemia, o cuidado é redobrado para os hipertensos.

Pacientes portadores de doenças crônicas estão dentro do grupo de risco, uma vez que essas enfermidades agravam o quadro de Covid-19. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), pacientes com condições crônicas pré-existentes, como a hipertensão, apresentaram versões mais graves da doença causada pelo novo Coronavírus.

Isso significa dizer que a infecção se desenvolveu rapidamente para a síndrome do desconforto respiratório agudo, insuficiência respiratória aguda e outras complicações. Vale lembrar ainda que a hipertensão pode estar associada a outras doenças também, como obesidade, diabetes e problemas cardíacos.  

Desse modo, manter o controle da pressão arterial é uma forma de se prevenir de formas graves de COVID-19. Mais do que nunca, é importante seguir o tratamento adequadamente e continuar o acompanhamento com profissional de saúde.

Referências bibliográficas:

  • https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/hipertensao-pressao-alta/
  • https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-alimentar-melhor/6-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-a-hipertensao
  • https://superafarma.com.br/pressao-alta-o-que-fazer/

Gostou?
Compartilhe nas
redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Leia também...

Grupo Microsom SAC

Olá, em que posso ajudá-lo(a)? Me informe seu email e telefone para iniciarmos uma conversa sem compromisso ;)